A intrigante história da ilha margarida em Budapeste

Vários reis húngaros colocaram sua corte na ilha ao longo da história na Ilha Margarida, ela é uma das partes mais conhecidas de Budapeste. Sua longa e rica história remonta à antiga civilização romana.

Pedras e moedas inscritas dos séculos 2 e 4 foram encontradas lá durante escavações ao longo dos anos e vários pesquisadores acreditam que as paredes espessas que cercam suas costas são de origem romana. A ilha é mencionada pela primeira vez em uma carta de 1225 e, de acordo com a tradição, o rei Imre (1196-1204) manteve sua corte ali.

O nome da ilha foi alterado várias vezes ao longo de milênios, a história da Ilha Margarida é quase tão antiga quanto a história do país, alguns dos nomes incluem Nyulak szigete (Ilha dos Coelhos), Úr-sziget (Ilha dos Nobres), Kvszadaszi (um nome turco), Budai-sziget (Ilha de Buda), Dunai-sziget (Ilha de Danúbio) e Palatinus-sziget (Ilha Palatina).

Acredita-se que o antigo nome ‘Ilha dos Coelhos’ se originou de um pedaço de terra que foi delimitado para a criação de coelhos na antiguidade. Castelos, igrejas, mosteiros e provavelmente pelo menos uma vila já foram construídos por lá.

Porém, o arqueólogo Trogmayer escreveu em um de seus que a Ilha Margarida, que sempre foi acessível no inverno através do gelo do Danúbio congelado, poderia ter sido um local de isolamento para os leprosos centenas de anos atrás. Ele também justificou sua afirmação ao apontar que a palavra ‘coelho’ é chamado de ‘lepus’ e o caso possessivo é ‘leporum’, muito semelhante à palavra ‘leproso’ em latim, ‘leprorum’. Segundo Trogmayer, no início da Idade Média, poderia facilmente acontecer que um monge copiante errasse uma única letra do nome da ilha, o que resultou no latim ‘insula leporum’, que significa ‘a ilha dos coelhos’.

Locais semelhantes de quarentena foram usados ​​na Europa centenas de anos atrás contra a doenças altamente contagiosas.

Durante a invasão mongol da Hungria, o rei Bela ofereceu sua filha por nascer a Deus em troca da libertação do país. Margarida nasceu no Reino da Croácia, onde residia a família real. Depois de retornar à Hungria, o rei enviou sua filha de três anos a um convento em Veszprém. Em 1252, Margarida foi transferida para o convento na Ilha dos Coelhos. Após sua morte, tornou-se um santuário, e a ilha recebeu o seu nome em definitivo.

Deixe uma resposta