Papa João Paulo II e os húngaros

Uma das personalidades mais respeitadas do século 20, o papa João Paulo II, nasceu há 100 anos na Polônia. Ele foi o primeiro papa da região e ainda é amplamente respeitado na Hungria.

O Papa João Paulo II sempre teve um lugar especial no coração dos húngaros: além da famosa amizade polaco-húngara, ele também passou pelo sofrimento da cortina de ferro. Ele é considerado uma inspiração espiritual das mudanças de regime na região, fato que supostamente levou à sua tentativa frustrada de assassinato em 1981. Ele também tinha uma posição firme em várias questões controversas: globalização, capitalismo, guerras, pena de morte, apartheid na África do Sul, entre outras coisas.

O Papa João Paulo II canonizou Hedwig, filha de Luís, o Grande, e Kinga, filha do  rei  Béla IV. Além disso, beatificou o rei Carlos da Hungria.

Durante seu papado, ele fez duas visitas oficiais à Hungria: a primeira em 1991, ele visitou (e, é claro, realizou a Santa Missa) em Esztergom, Máriapócs, Pecs, Budapeste, Szombathely e Debrecen. Então, cinco anos depois, ele também visitou Pannonhalma e Győr.

O icônico Papa que melhorou significativamente as relações da Igreja Católica com outras religiões e viajou para um total de 129 países durante seu pontificado, acabou por ser canonizado em 27 de abril de 2014, apenas nove anos após sua morte.

Quer saber mais sobre a Polônia e sua relação com a Hungria? Então assista ao nosso vídeo especial e venha conhecer a mais famosa mina de sal da Polônia e descubra o porque dela ter origem húngara!

Deixe uma resposta