Você sabia que um pedaço da cruz de Jesus Cristo está na Hungria?

cross, sunset, sunrise

De acordo com as escrituras, 300 anos após a crucificação de Jesus Cristo, em 326, a mãe do imperador romano Constantino o Grande, Flavia Julia Helena (mais tarde Santa Helena) viajou para a Terra Santa em busca das relíquias de Jesus.

Graças a isso (e à comunidade judaica local que mantinha o segredo), ela não apenas encontrou as cruzes dos dois criminosos mortos junto com Jesus, mas também a cruz do Redentor. Como a placa na qual a inscrição INRI estava escrita foi encontrada em outro lugar, ninguém sabia qual pertencia a Jesus.

O bispo de Jerusalém, Macarius, propôs levá-los a uma mulher que sofria de uma doença incurável para que ela tocasse nas três cruzes. A cruz que ela tocou antes de milagrosamente se curar foi identificada como sendo a de Jesus.

Um pedaço da Santa Cruz permaneceu em Jerusalém e outro foi enviado a Constantinopla. Além disso, Helena também levou um com ela para Roma. Seus remanescentes ainda pode ser visto na Basílica de Santa Croce na capital italiana. A placa com a inscrição INRI (Iesus Nasarenus Rex Iudaeorum – Jesus de Nazaré, rei dos judeus) também está naquela basílica.

Nos séculos seguintes, com a autorização do papa, mais algumas peças da cruz foram dadas como presente a diferentes monarcas e templos. Foi assim que a imperatriz Habsburgo Maria Teresa (1740-1780) recebeu uma e a deu à igreja católica romana de Nyúl, uma pequena vila no condado de Gyor-Moson-Sopron, onde é mantida desde então.

Deixe uma resposta